Por

João Dantas

Forças de segurança usam mais de 300 agentes, helicópteros e drones para buscar fugitivos do presídio de Mossoró

As forças de segurança estão empenhadas para prender os fugitivos do presídio de Mossoró. As buscas pelos dois fugitivos da Penitenciária Federal de Mossoró (RN) entram no terceiro dia nesta sexta-feira (16). Ao todo, mais de 300 agentes de segurança trabalham desde a quarta-feira (14) para recapturá-los.

Estão empenhados:

100 agentes da Polícia Federal;
100 agentes da Polícia Rodoviária Federal;
100 agentes das forças policiais locais (civil e militar);
3 helicópteros (1 da PRF, 1 da PF e 1 da Secretaria de Segurança Pública do RN);
Drones (com equipamentos termais) e cães farejadores.

O jornalista da TV Globo, César Tralli, apurou que na manhã desta sexta-feira (16) um avião da Polícia Federal sairá de Brasília para Mossoró com equipes de operações especiais da própria PF e da Polícia Rodoviária Federal.

Serão enviados:

25 integrantes do Comando de Operações Táticas da PF (COT), unidade de elite da PF.
7 policiais do Grupo de Resposta Rápida da PRF (GRR).

Em entrevista concedida na tarde desta quinta-feira (15), o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski, disse que acredita que os fugitivos permanecem próximos ao presídio após a fuga, num perímetro de até 15 km até o centro da cidade de Mossoró.

“É um local de matas, uma zona rural, e nós imaginamos que eles estejam homiziados ainda naquela região, porque pelas vídeo câmeras nós não identificamos nenhum veículo que os tenha buscado quando transpuseram as grades do presídio”, disse o ministro.

Lewandowski também citou que não houve nenhum registro de furto ou roubo de carros na região, o que reforça a hipótese de que fugitivos se mantiveram nas proximidades.

Além disso, uma casa nas redondezas, que fica na zona rural, foi arrombada, e foram levadas comidas e roupas. O crime pode estar associado aos fugitivos, segundo o ministro.

Forças de segurança

Outras medidas também foram tomadas pelo Ministério da Justiça para evitar que os fugitivos consigam escapar do cerco policial. Entre elas, estão:

– registro do nome dos fugitivos no sistema de difusão vermelha da Interpol;
– inclusão do nome dos fugitivos no sistema de proteção de fronteiras;
– reforço na atuação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) nas rodovias e nas divisas de estados próximos a Mossoró, como Ceará e Paraíba.

“Acreditamos que os dois fugitivos serão recapturados num período muito breve”, disse o ministro da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Lewandowski.

A pasta também informou que solicitou abertura de processo administrativo para apurar as responsabilidades da fuga e de um inquérito policial para investigação de alguma eventual responsabilidade criminal, como uma possível facilitação da fuga.

Na entrevista, Lewandowski listou alguns fatores que podem ter contribuído para a fuga dos dois presos: eles fugiram por falhas no teto, passaram por tubulações e utilizaram ferramentas da construção que está sendo feita na unidade, incluindo um alicate para cortar as grades da penitenciária.

O ministro relatou que havia uma reforma sendo executada no presídio e que as ferramentas não foram armazenadas de forma correta, o que as deixou mais disponíveis aos presos.

Além disso, o ministro confirmou que algumas câmeras de segurança não estavam funcionando no momento da fuga e ainda acrescentou que luzes do presídio também estavam desligadas.

O Secretário Nacional de Políticas Penais (Senappen), André de Albuquerque Garcia, foi enviado para Mossoró, onde passou a trabalhar em uma sala de situação – ao lado de representantes de outros órgãos – na Delegacia da Polícia Federal em Mossoró. Nesta quinta (15), ele afirmou que as buscas seguem ativas por 24 horas e que a recaptura é prioridade.

Primeira fuga da história

As forças de segurança se depararam com um fato inédito. Pela primeira vez no Brasil, um presídio de segurança máxima do sistema penitenciário federal registrou uma fuga.

O sistema foi criado em 2006 e conta com cinco presídios de segurança máxima. O presídio de Mossoró foi o terceiro a ser inaugurado pela União, em 2009.

Cariri In Foco
com Portal G1

Compartilhe com seu amigos essa notícia

WhatsApp
Facebook

Outras notícias...